INTRODUÇÃO

“a história é um pesadelo do qual estou tentando acordar” - Stephen Dedalus, personagem do livro “Ulisses” de James Joyce.

“na mais modesta hierofania transparece um eterno recomeço, um eterno retorno a um instante primordial, um desejo de abolir a história, de apagar o passado, de recriar o mundo”.
Mircea Eliade, "Xamanismo e as técnicas arcaicas do êxtase"

Tentando resumir ao máximo esse assunto suscitado pelo nome do blog, a história é simplesmente a estória do homem profano, deconectado da natureza e do cosmos, do homem que violenta à si mesmo para poder conviver com a violência. A história surge de um desequilíbrio, que deu no que vemos hoje.
Mas o que chamamos de profano é apenas uma mancha, uma sujeira que se instalou na nossa radiância.
A trans-história nada mais é que a superação desse desequilíbrio, é o retorno ao essencial, ao natural, ao cósmico; ao sagrado que naturalmente surge quando nos purificamos/nos desfazemos da ilusão do profano - que no final das contas, é só uma manchinha, uma miragem projetada, que turva a percepção da OMnipresença Incontestável.

Nesse espaço, compartilharei Informações, Visões e pesquisas que nos impulsionam à esse Equilíbrio.

***


quinta-feira, 24 de setembro de 2009

XAMANISMO / ENTEÓGENOS

XAMANISMO


Parafraseando Décio Pignatari, "na geléia geral do esoterismo comercial, alguém tem que fazer o papel de medula e osso". Bem, andei pesquisando informações em português sobre xamanismo na internet, e fiquei um tanto quanto espantado com o que encontrei, informações absolutamente esteriotipadas, diluídas e superficiais – quando não erradas. Algo que me chamou a atenção foram os erros de português, entre eles, erros que mudam completamente o sentido da frase/palavra, como por exemplo “estático” ao invés de “extático”, informações erradas sobre plantas, além de classificações arbitrárias e absurdas.
O papel crucial da Linguagem na figura do xamã é amplamente esquecido – os xamãs são genuínos poetas, fazedores de linguagem. Frequentemente a criatividade linguística-sensorial é tão grande que mesmo a comunidade em que ele vive não entende o que está sendo "dito", no entanto, o fato de não entenderem não é tão importante, porque o que quer que ele esteja dizendo-cantando funciona, ou seja, tem poder e beleza, cura e expande/intensifica a consciência.

"entre os buriates, são os principails guardiões da rica literatura heróica oral. O vocabulário Poético de um xamã iacuto compreende por volta de 12 mil palavras, ao passo que sua linguagem usual - a única conhecida pelo restante da comunidade - não contém mais de 4 mil ."
Mircea Eliade,"Xamanismo e as Técnicas Arcaicas do Êxtase"

Frisei na citação o termo "Poético", pois a linguagem poética é a única adequada para expressar o sagrado e acessar o sagrado, e embora a citação trate de um xamã iacuto, essa característica é universal."As belas palvras" dizem os guaranis, as únicas que os deuses ouvem. "A linguagem torcida" dizem os pajés Yaminawas, a linguagem que não se choca com as coisas , mas que gira em torno e revela a essência. Obviamente há uma conexão entre a linguagem poética e os estados xamânicos de consciência.

*

obs: A linguagem poética é uma linguagem inteiramente diferente da linguagem prosaica, esse é um ponto que será aprofundado aos poucos, mas eu insisto nesse "detalhe" pois é essencial.

* * * * * * *

enteógenos / plantas dos deuses


en – de dentro, interno

theos / teo – divino/ deus / divindade

genos – nascer, originar

"dar nascimento ao divino interior"



À seguir imagens que ilustram o uso de cogumelos por diversas culturas xamânicas do mundo inteiro:









Jesus / cogumelos




















xamã kirati do Nepal com cogumelo












figuras de cogumelos nos pilares de templos egípcios














Suméria
















cogumelos brotando da árvore da vida, Suméria
















figuras de cogumelos nas pedras de Stonehenge














Shiva, o criador de todas as plantas psicoativas, cercado de cogumelos
















estátua-cogumelo










Deusa com cabeça-cogumelo,que veio da constelação de Cignus(Cisne), trazendo a música, escrita e agricultura












representação de estados visionários com cogumelos entre os maias















xamã kirati dos himalaias com cogumelos












xamã kirati dos himalaias com um cogumelo













a ave mítica Fênix levantando vôo entre cogumelos













o uso de cogumelos nos Mistérios de Elêusis na Grécia













Egito













Serapis, o Boi sagrado, e cogumelos que nascem no esterco.











Síria













estátuas-cogumelo doMéxico













o hieróglifo egípcio da eternidade carregando um cogumelo














cogumelos no chão de uma igreja antiga









Buda segurando um cogumelo











figuras-cogumelo da África











afresco numa igreja do sec XIII, na França
"imagem retirada de uma conferência de ananda bosman"







Egito, barco do sonho - tronco de uma espécie de acácia, rica em dmt,e ao fundo, figuras humanas em que brotam cogumelos no lugar da cabeça.
(representando talvez a morte do ego)
"imagem retirada de u
ma conferência de ananda bosman"








megalitos na Índia, acredita-se que possam ser pré-históricos

"imagem retirada de uma conferência de ananda bosman"









pedras-cogumelo do México(entre 1.000 a.c e 500 d.c

Um comentário: