INTRODUÇÃO

“a história é um pesadelo do qual estou tentando acordar” - Stephen Dedalus, personagem do livro “Ulisses” de James Joyce.

“na mais modesta hierofania transparece um eterno recomeço, um eterno retorno a um instante primordial, um desejo de abolir a história, de apagar o passado, de recriar o mundo”.
Mircea Eliade, "Xamanismo e as técnicas arcaicas do êxtase"

Tentando resumir ao máximo esse assunto suscitado pelo nome do blog, a história é simplesmente a estória do homem profano, deconectado da natureza e do cosmos, do homem que violenta à si mesmo para poder conviver com a violência. A história surge de um desequilíbrio, que deu no que vemos hoje.
Mas o que chamamos de profano é apenas uma mancha, uma sujeira que se instalou na nossa radiância.
A trans-história nada mais é que a superação desse desequilíbrio, é o retorno ao essencial, ao natural, ao cósmico; ao sagrado que naturalmente surge quando nos purificamos/nos desfazemos da ilusão do profano - que no final das contas, é só uma manchinha, uma miragem projetada, que turva a percepção da OMnipresença Incontestável.

Nesse espaço, compartilharei Informações, Visões e pesquisas que nos impulsionam à esse Equilíbrio.

***


quinta-feira, 24 de setembro de 2009

GALERIA DE ARTE VISIONÁRIA E CÓSMICA

fotos do telescópio hubble, pinturas de Alex Grey, Willian Blake, Pablo Amaringo






















































Um comentário:

  1. Lindas imagens...
    Pedro, pesquise sobre Akiane Kramarik, uma artista que agora deve estar com 16 anos, mas que começou a pintar com 5 anos. É impressionante. (!!) Ela faz poemas também... é de outra dimensão.
    Beijo.

    ResponderExcluir